Apesar da falta de consciência dos proprietários. O trabalho de apreensão de animais está reduzindo o número de acidentes nas rodovias estaduais

A fazenda que possui aproximadamente 500 hectares abriga hoje cerca de 8 mil animais, entre bovinos, equinos, caprinos, ovinos e asininos. de acordo com raimundo Torquato, administrador da fazenda, 90% dos animais são jumentos - Foto: Eduardo duarte

Os animais apreendidos pelo departamento Estadual de Trânsito do Ceará (DETRAN) são levados para a Fazenda Dr. Paula Rodrigues, localizada às margens da rodovia estadual CE 176, há cinco quilômetros da sede do municio de Santa Quitéria.

A fazenda que possui aproximadamente 500 hectares abriga hoje cerca de 8 mil animais, entre bovinos, equinos, caprinos, ovinos, e asininos. De acordo com Raimundo Torquato, administrador da fazenda, 90% dos animais são jumentos.

Além de Torquato, a fazenda conta, ainda, com um veterinário e cinco funcionários de campo que ajudam a cuidar dos animais. “É um trabalho árduo. São muitos animais. Estamos dividindo a fazenda em piquetes pra gente separar os animais machos das fêmeas”, conta Torquato.

Muitos animais chegam doentes e até feridos, seja por conta de maus tratos de seus donos ou devido ao transporte durante a viagem. É aí que entra em cena a figura de seu Valdemir Aragão, o médico veterinário da fazenda.  “Em princípio a gente faz os exames necessários em todos os animais que chegam aqui, às vezes chegam 30 ou 40 de uma vez só, em seguida agente aplica as vacinas em todos eles”, afirma o veterinário que acompanha os animais desde a chegada até sua saída.

Conforme explicou João Carlos Macedo, gerente dos núcleos regionais do DETRAN, o Estado gasta em média, R$ 300 mil por mês para manter o serviço de apreensão e cuidado com os animais que transitam nas rodovias estaduais do Ceará. O resultado desse trabalho se verifica na redução de acidentes nas rodovias cearenses. Em 2010 foram 119 acidentes com 11 mortes e 60 feridos contra 96 acidentes com 5 mortes e 38 feridos no ano passado.

Multa

Os proprietários pagam multa de R$ 127,53 por cada animal apreendido nas rodovias estaduais. Além da multa, também é cobrada a diária de R$ 25,52 centavos por cada dia de permanência dos animais na Fazenda Dr. Paula Rodrigues.

Os animais que não são resgatados por seus donos são doados para instituições e associações. “Esses animais são selecionados pelo veterinário. Os que estão aptos para alimentação humana nós doamos para o Hospital do Câncer, o Iprede e outras instituições. Os que servem para o trabalho são doados para associações agrícolas”, afirma João Macedo.

Falta de consciência

Segundo Valdir Guerreiro, coordenador de apreensões do DETRAN, em muitas regiões do estado, os fiscais do DETRAN enfrentam ameaças por parte de proprietários da hora da apreensão dos animais. As ameaças partem dos proprietários de ovinos, caprinos e bovinos, conforme explicou Guerreiro.

Para garantir segurança aos fiscais e o sucesso das às operações de apreensão de animais, em algumas regiões do Ceará o DETRAN está trabalhando em conjunto com a polícia rodoviária Estadual.

Exportação de jumentos

Um acordo celebrado há cerca de um mês entre os governos brasileiro e chinês, liberou a exportação de jumentos para a China. Os animais serão abatidos e utilizados em pesquisas científicas pela indústria de cosméticos.

Os chineses pretendem importar cerca de 300 mil jumentos por ano. Além do aspecto econômico, a iniciativa poderá ajudar a resolver o problema do excesso de jumentos na região nordeste.

A presença dos animais em abundância se dá, principalmente, por conta do baixo valor que é dado a eles no comércio local. Até mesmo como meio de transporte de pessoas e cargas o jumento já perdeu espaço para as motocicletas.

Marcos Mesquita

jornal@sobralnews.com.br

 

COMPARTILHAR