Professores e estudantes alertam a comunidade sobre os cuidados necessários com a saúde

Alunos do Curso de Fisioterapia em ações nas comunidades periféricas - Foto: Divulgação

No mês de abril, o projeto Educação e Cidadania para a Saúde da Mulher, coordenado pelo curso de Fisioterapia das Faculdades INTA, completará um ano de serviços prestados a comunidade. A iniciativa está alcançando bons resultados ao longo do tempo de atuação. Voltado para a promoção da saúde da mulher, o projeto atua na comunidade do bairro Dom Expedito.

De acordo com a professora Aleudinélia Cunha, coordenadora do projeto, as reuniões com o grupo de mulheres do bairro acontecem a cada 15 dias, no salão paroquial da Igreja de São Pedro. Durante os encontros, o grupo discute temas relacionados à saúde e bem estar feminino. Dentro das atividades, ainda estão inclusas as visitas domiciliares.

Atualmente, 23 estudantes dos cursos de fisioterapia, serviço social e nutrição participam do projeto, que oferece atendimento comunitário com distribuição de informativos, aferição de pressão arterial e técnicas específicas da fisioterapia que estão ajudando na melhoria da qualidade de vida dos participantes.

“Além de incentivarem as participantes a procurarem o médico para tratar de sua saúde, os estudantes também coletam dados que estão sendo utilizados em um projeto de pesquisa”, conta Aleudinélia Cunha.

De acordo com a coordenadora, no início, algumas mulheres relutavam em participar das atividades, mas aos poucos os professores e estudantes foram ganhando a confiança do grupo. As visitas domiciliares serviram, também, para reforçar o grau de entrosamento entre eles e os resultados são animadores.

Aleudinélia Cunha comemora os avanços conquistados. “No social, muitas mulheres já começaram a participar, a terem um entrosamento dentro do grupo. A gente indo onde elas estão, a participação delas acontece de forma mais efetiva. aos poucos, elas vão superando a timidez. Muitas já conseguem se expressar em público, o que está facilitando o alcance dos objetivos do projeto, disse.

Marcos Mesquita

jornal@sobralnews.com.br

COMPARTILHAR