Parceria entre a CNI e a Corporação Interamericana de Investimentos oferecerá consultorias especializadas a 120 empresas de Pernambuco, Paraíba
e Ceará com faturamento superior a US$ 500 mil ao ano

A Confederação Nacional da Indústria (CNI), a Corporação Interamericana de Investimentos (CII), braço do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), por meio do Instituto de Desenvolvimento Industrial (Indi), lançaram na sede da Fiec, em Fortaleza, nesta quinta-feira, 27, às 8h30min, um programa que ajudará as pequenas e médias empresas a obter empréstimos para investimentos.

Consultorias especializadas gratuitas avaliarão a administração e a situação de empresas com faturamento anual de, no mínimo, US$ 500 mil e mostrarão aos empresários como melhorar a competitividade e ampliar as chances de atender às exigências dos bancos na hora de obter um financiamento. A expectativa é atender a 120 empresas de Pernambuco, Paraíba e Ceará até o fim de 2013.

Parceiros – O Subgerente Geral da Corporação Interamericana de Investimentos (CII), Steven Reed, o Chefe de Divisão da CII, Jorge Roldán, e a Oficial de Fundos Fiduciários da CII, Paula Urbano, estiveram no evento para explicar como funciona o Finpyme.

Requisitos – A iniciativa vai usar a metodologia do programa Financiamento Inovador de Empresas de Pequeno e Médio Porte (Finpyme), da Corporação Interamericana de Investimentos, que auxilia na promoção do desenvolvimento de países da América Latina e Caribe. Além de ter faturamento de, no mínimo, US$ 500 mil, as candidatas devem estar em dia com as obrigações trabalhistas e ambientais.

De acordo com o Diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Abijaodi, o acesso ao crédito é um dos principais problemas enfrentados pelas empresas brasileiras. Essa dificuldade se acentua, sobretudo, para as empresas menores. “O programa permite que empresas adotem medidas necessárias para melhorar a gestão administrativa e financeira para terem acesso a fontes de financiamento”, diz Abijaodi.

Segundo o Gerente-Executivo de Política Industrial da CNI, Pedro Alem, o programa torna o processo de obtenção de financiamento mais ágil, pois envolve empresas mais habilitadas. “Além disso, o programa permite que a CNI e as federações de indústria identifiquem problemas que subsidiarão propostas de políticas públicas para melhorar o acesso das empresas às linhas de financiamento”, diz Alem.

Explica o Gerente da Unidade de Articulação de Crédito do Instituto de Desenvolvimento Industrial (Indi) da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Fernando Aragão, que o programa irá apontar sugestões de melhorias na gestão de recursos humanos, estruturais, financeiros e ambientais das empresas participantes. “Da consultoria do Finpyme será gerado um diagnóstico com soluções para que as empresas se tornem mais aptas a concorrer nos mercados locais, nacional e mundial.”

Fonte: Fiec

COMPARTILHAR