A Matriz de Nossa Senhora da Conceição, a Sé de Sobral, ficará fechada até a realização dos trabalhos de prospecção que tentarão identificar vestígios de originalidade da Igreja.

No começo de fevereiro, tiveram início as obras de reforma paisagística da Praça da Sé e da Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição. Basicamente, será feita remoção da camada superficial de solo, colocação de terra nova, adubação e

A primeira capela para a Matriz de Nossa Senhora da Conceição começou a ser construída em 1746, tendo como responsável o padre Antônio de Carvalho e Albuquerque - Foto: Wilson Gomes

calagem, bem como plantio de grama e espé­cies ornamentais. A obra, orçada em R$ 1,15 milhões, e realizada através de parceria firmada entre Prefeitura de Sobral e Ministério das Cidades, deve ficar pronta em outubro.

A primeira capela para a Matriz de Nossa Senhora da Conceição começou a ser construída em 1746, tendo como responsável o padre Antônio de Car­valho e Albuquerque, e provisão de Dom Frei Luís de Santa Teresa, bispo de Olinda. Não consta quando foram concluídos os serviços de construção que, segundo o costume do tempo, tinha apenas uma porta na frente, com duas pequenas janelas em cima, correspondentes ao coro, sem torres, com pavimento de barro batido e úni­ca sacristia do lado do nascente.

Certamente, grandes deviam ser os defeitos de construção da Matriz de Caiçara, já que 14 anos depois já ameaçava ruir. Naquela época, o Vi­sitador Dr. Veríssimo Rodrigues Ran­gel chamava atenção dos fiéis para a iminente ruína da Matriz, através de carta datada de 20 de agosto de 1760, na qual determinava que a Igreja fosse rebocada por cal e areia por dentro e por fora, e pavimentada de tijolo.

Apesar das advertências e medi­das para manter a segurança da obra, não foi possível evitar a ruína prevista. A prova está no fato de que o padre João Ribeiro Pessoa, sucessor de Pe. Albuquerque, ao tomar posse, em 1762, resolveu demolir a Capela-mor e reconstruí-la com solidez, o que rea­lizou pouco tempo depois, mas não no mesmo local.

No dia 5 de novembro de 1778, o templo foi abençoado e houve lança­mento da primeira pedra da nova Ma­triz de Nossa Senhora da Conceição da Vila de Sobral. A Igreja devia ser edi­ficada em forma de Cruz Latina. Esse detalhe é confirmado pelo fato de o teto da Igreja ser, antes da reforma de 1876, dividido em quatro partes, como destinado a cobrir uma área em forma de cruz.

Somente no dia 1º de fevereiro de 1781, a Capela-mor da nova Matriz de Nossa Senhora da Conceição foi benta. As torres começaram a ser levantadas em 1836, mas somente foram finali­zadas em 1849, a do nascente e, em 1851, a do poente. Atingidas mais de uma vez por faíscas elétricas, as torres foram restauradas posteriormente. O patamar foi feito em 1838. O relógio foi comprado em Paris, em 1870, e co­locado na torre do poente no ano se­guinte. O sino grande foi refundido em Pernambuco, em 1853, e é conhecido como um dos mais sonoros.

A Igreja da Sé, como é conhecida em Sobral, possui um bonito presépio ao lado do altar principal, com dimen­sões naturais, que veio encomendado de Paris, em 1912. Aproveitando o en­sejo das festas comemorativas do pri­meiro centenário da elevação da Vila de Sobral à categoria de cidade, em 12 de janeiro de 1842, no dia 17 de maio de 1938, começaram os traba­lhos de reforma da Igreja, encerrados em maio de 1941. A festa de N. S. da Conceição, padroeira de Sobral, é co­memorada em 8 de dezembro.

A secular Igreja do Curato do Aca­raú, construída no século XVIII, muito embora tenha sido beneficiada com o projeto de iluminação monumental, está sendo contemplada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Na­cional (IPHAN), com serviços que de­finirão traços originais da Igreja, bem como recuperação do acervo de suas naves e obras sacras.

A Sé de Sobral ficará fechada até a realização dos trabalhos de prospec­ção que tentarão identificar os vestí­gios de originalidade da Igreja.

COMPARTILHAR