Jobs no lançamento da nova versão do iPod Nano durante um evento especial em setembro de 2007
Há seis anos, o empresário e visionário da Apple, Steve Jobs, morria de parada respiratória por conta de um câncer pancreático, aos 56 anos. O norte-americano revolucionou o ramo da tecnologia, e desde sua morte, a Apple sofre com a falta de grandes ideias.
A multinacional norte-americana é uma das empresas mais influentes do mundo. Em 2015, por exemplo, a Apple teve lucro líquido de US$ 53 bilhões, ficando a frente de outras gigantes do ramo tecnológico, como Facebook, Amazon e Microsoft. Contudo, sem Jobs, o crescimento da empresa da “maçã” é cada vez mais lento.
Com a alta concorrência do mercado, as baixas vendas do iPhone e do iPad, além do Apple Watch não ter tido tanto sucesso, a empresa vê seu lucro líquido baixar. Em 2016, a Apple fechou o ano com lucro líquido de US$ 45 bilhões.
Mas o que todos lembram é a longa história de Steve Jobs com a Apple. Desde a criação do Macintosh, o primeiro computador pessoal com “mouse”, passando pelo iPod, iPad e o principal de suas criações, o iPhone.
Recentemente, a Apple criou o iPhone X para celebrar os 10 anos do lançamento do primeiro modelo do smartphone, em janeiro de 2007.
Após sua morte, Jobs inspirou diversos filmes e livros. O co-fundador da Apple também foi capa de muitas revistas, inclusive, uma delas que foi autografa por Jobs, em 1988, irá a leilão por US$ 10 mil.
Fonte: ANSA
COMPARTILHAR