Os quiosques instalados no parque recebiam muitos freqüentadores que buscavam diversão nas noites de Sobral.

O lugar também era bastante freqüentado por pessoas que praticavam cooper no calçadão da lagoa. Esses frequentadores pouco a pouco se afastaram do lugar, devido a situação de insegurança que se instalou no parque.

Poluição

O espelho d’água está coberto por aguapés que se desenvolvem devido à presença de matéria orgânica, que chega à lagoa através do esgoto doméstico que é depositado no manancial. Moradores denunciam que a lagoa também recebe esgoto industrial, proveniente das indústrias e de um hospital instaladas nas proximidades do parque.
O mau cheiro que exala da lagoa incomoda quem passa pelo local. “O mau cheiro é insuportável. Não importa a hora que agente passa por aqui. O mau cheiro é sempre o mesmo”, reclama o auxiliar de serviços gerais Henrique da Silva.
Quem mora nos arredores do parque, se queixa de mosquitos, insetos e ratos que são atraídos por causa da poluição da lagoa. “A presença desses mosquitos e ratos põe em risco a saúde da comunidade”, alertou a professora Lidiana Marques.
A secretária do Planejamento Urbano, Juraci Neves, informou que se encontra em fase de elaboração, um projeto de revitalização do saneamento básico, que beneficiará alguns bairros da cidade, dentre eles o Parque Silvana, onde está localizada a Lagoa da Fazenda. “Todas as ligações de esgoto que hoje estão direcionadas para a Lagoa da Fazenda serão retiradas”, garantiu a secretária.
O projeto atenderá outros bairros como Sinhá Sabóia, Dom Expedito e parte do Centro. O valor total do investimento será de R$ 21 milhões. “Os recursos estão garantidos pelo PAC”, afirmou a secretária, que não soube informar a previsão para o início da obra.
O Sobral News procurou o titular da Infraestrutura, Irismar Azevedo, para apurar informações acerca da elaboração e início do projeto. Fomos informados que Irismar encontra derecesso e o subsecretário, Junior Parente, não pode nos atender porque estava em reunião com o prefeito Veveu Arruda.

Insegurança

Os poucos pedestres que ainda utilizam o calçadão dalagoa para a prática de cooper não se sentem seguros no local. A ausência de policiais na área é a principal reclamação dos populares.
À noite a situação é ainda pior por causa da escuridão que toma conta da Avenida da Universidade, nas proximidades do campus da Betânia, da Universidade Estadual Vale do Acaraú. De acordo com populares, assaltos acontecem com freqüência na região.
Outro problema está no prédio abandonado onde funcionou o restaurante Brisa do Lago. Moradores denunciam que o local virou abrigo para viciados, que utilizam o prédio para consumir drogas.
O comandante do 3º Batalhão da Polícia Militar, coronel Gilvandro Oliveira, disse que a escuridão dificulta a ação dos policiais. O coronel afirmou ainda, que encaminhou um ofício à prefeitura solicitando a poda das arvores e a manutenção das lâmpadas dos postes de iluminação. “Independente de qualquer coisa, eu já determinei a intensificação das rondas policiais naquela área,” garantiu o comandante, que reconhece a situação de insegurança que atinge, principalmente, os estudantes que passam pelo local, antes e depois das aulas na Universidade.

Histórico*

O Parque Ecológico da Lagoa da Fazenda está encravado na Fazenda dos Macacos, residência do coronel Antônio R. Magalhães e de sua mulher Quitéria Marques de Jesus. O local foi, inicialmente, cortado pela Estrada da Bethânia, construída por Dom José Tupinambá da Frota para dar acesso à sua casa de campo.
Por muitos anos, a lagoa permaneceu sendo ponto de lazer dos habitantes de Sobral, que vinham se beneficiar da amena aragem do lugar. Na gestão do Prefeito Jerônimo Prado, foi feita na lagoa a canalização para escoamento dos esgotos. Com o considerável aumento de ligações clandestinas, o manancial sofreu um processo de poluição.
Durante o governo Tasso Jereissati, 1987-1990, foram iniciadas obras de recuperação, saneamento e urbanização do local, transformado em Parque Ecológico Lagoa da Fazenda. Sua inauguração aconteceu em outubro de 1993, já no governo Ciro Gomes. O parque ocupa uma área de 19,2 hectares.

* informações prestadas pelo
repórter Wilson Gomes.

 

Marcos Mesquita
marcos@sobralnews.com.br

COMPARTILHAR