O que antes era considerado impossível se tornou realidade. De uma terra onde não se esperava brotar algo além de frutas, verduras e hortaliças, nasceram flores e com elas a mudança de São Benedito. Hoje o município é um dos maiores produtores de flores do Brasil

Patrícia Kinoshita
jornal@sobralnews.com.br

Segundo informações da Associação de Produtores de Flores do Ceará, o Estado é o 2° maior exportador de flores do Brasil. Além da Serra da Ibiapaba, as outras regiões produtivas são: Maciço de Baturité, Região Metropolitana de Fortaleza e Cariri – Fotos: Patrícia Kinoshita

Na estrada a vegetação é seca em tons amarelados que sinalizam a falta de chuva na região. Ao subir a Serra da Ibiapaba o cenário muda e se transforma em frio e úmido. Nosso destino foi a cidade de São Benedito, distante 125km de Sobral, para conhecer as flores, que já são tradicionais na região. É visível o contraste entre o sertão e a serra que mudou sua realidade econômica cultivando uma prática antes considerada impossível.

No Distrito de Inhuçu visitamos a Fazenda de Flores Flora Fogaça, nosso guia, Antônio Félix, o encarregado geral de produção da empresa, mostrou o poder que as terras do município têm e os seus frutos – as flores. A Flora Fogaça é a maior produtora de crisântemos de corte do norte-nordeste, inclusive fornece para outras empresas da região. Além do Ceará, hoje a empresa atua fornecendo flores para os estados do Piauí, Rio Grande do Norte, Maranhão, Bahia, Pará e Alagoas. São Benedito também conta com outras duas grandes empresas do segmento: a Reijers e a Cearosa.

O tempo de cultivo depende do tipo de flor, algumas precisam de 90 dias para estarem prontas para a colheita, como é o caso dos crisântemos. Na Flora Fogaça são produzidas mais de 20 variedades, dentre flores, folhagens e complementos. Destaque para as margaridas, flores do campo e gérberas. O cenário é tão encantador que é um dos principais destinos de visitas guiadas de estudantes de escolas e faculdades.

A história que mudou

O que parecia impossível hoje é realidade, a plantação de flores move a economia local. “Naquela época, parecia que estava falando grego, por conta da cultura de hortifrutigranjeiros, muita gente não levou em conta o potencial da região. Hoje, prestes a completar 10 anos da empresa, o cenário é muito diferente daquele que encontrei em São Benedito ao chegar de Santo Antônio de Posse, interior de São Paulo”, conta o empresário Cláudio Fogaça. Hoje, o município é um dos maiores produtores de flores do Brasil.

O crescimento do setor alavancou as condições de vida das pessoas que trabalham no segmento. Atualmente, somente na empresa Flora Fogaça, 64 funcionários se dividem em quatro fazendas da empresa. Quem trabalha no setor tem prestígio na cidade e conseguiu mudar de vida. “Muitos funcionários aqui não tinham casa própria, vinham trabalhar de bicicleta. Agora a realidade é bem diferente, alguns já conseguiram comprar a casa, outros uma moto ou um carro e alguns fazem até faculdade. Os comerciantes da região respeitam esses profissionais”, relata o Coordenador de Recursos Humanos da Flora Fogaça, Fagner Paiva.

O nosso guia das flores, Antônio Félix, também mudou a sua condição de vida e colhe os frutos do trabalho. “Quando eu comecei aqui não tinha minha casa própria, hoje, eu tenho e já estou negociando para vender e comprar outra. Consegui também comprar um sítio e duas motos. Tenho outra vida”, comemora.
A satisfação e harmonia de quem trabalha com flores é preocupação para as empresas do segmento, que procuram desenvolver atividades com o foco na qualidade de vida dos funcionários. “Aqui não vendemos flores, vendemos o bem-estar das pessoas, o amor e a alegria. Para produzir flores com qualidade, precisamos de funcionários em harmonia com o trabalho”, esclarece Fagner Paiva.

Negócio das flores

Segundo Fagner Paiva, a produção atual da Flora Fogaça não é suficiente para suprir a demanda do mercado, principalmente nas principais datas, quando a procura do produto aumenta, como é o caso dos Dias das Mães, dos Namorados e Finados. Para o dia 2 de novembro, Finados, a empresa já prepara a produção, e o que deverá ser colhido já foi plantado. A expectativa da empresa é vender 3,5 mil pacotes de flores, fora as folhagens e complementos. O período que segue até janeiro promete boas vendas para o setor.

Segundo informações da Associação de Produtores de Flores do Ceará, o estado é o 2° maior exportador de flores do Brasil. Além da Serra da Ibiapaba, as outras regiões produtivas são: Maciço de Baturité, Região Metropolitana de Fortaleza e Cariri. São cerca de 75 produtores cearenses que geram em torno de 3.900 empregos diretos no setor.

Serviço:
Flora Fogaça
Estrada de Carnaubal, Km-01, Distrito de Inhuçu, município de São Benedito
Telefone: (88) 3626.3202

COMPARTILHAR