A Feira Livre de Sobral recebe, aproximadamente, 400 pessoas por dia. Lonas rasgadas e improvisos de toda sorte comprometem o trabalho dos feirantes. Associados reclamam das instalações desde que mudaram para o antigo clube da RFFSA

Os associados da Feira Livre de Sobral pedem atenção das autoridades competentes para a situação das instalações do local - Foto: Carlos Ritchelly

Uma das mais tradicionais feiras de comércio livre da região Norte, a conhecida “Feira dos Malandros”, mas que na verdade é hoje uma associação de pequenos comerciantes, que mantém encontros diários com uma enorme clientela, está em crise.

Desde que foi transferida da frente do Cemitério São José para o antigo Clube da RFFSA, localizado rua Tabelião Ildefonso Cavalcante, os que por lá buscam o pão de cada dia fazendo o seu negócio acontecer, reclamam da falta de estrutura, uma vez que, desde que houve a mudança, a Prefeitura promete realizar melhorias no local, mas, até agora, nada foi cumprido.

A reportagem do Sobral News foi conhecer de perto as dificuldades porque passam os feirantes devido as péssimas condições de trabalho. Eles alegam que não fazem bons negócios e culpam o Poder Público por estarem em um local que não oferece condições de trabalho.

Conversamos com Marcelo Sales Cavalcante, presidente da Associação dos Vendedores Ambulantes e Varejista de Sobral (AVAS), há dois anos no comando da Feira Livre. Ele falou sobre o processo de legalização da Feira. “Hoje, na nossa Feira, a gente encontra vários pais de família tentando vender seus produtos para manter a família. Aqui ele consegue pagar suas contas domésticas, porém, o local não oferece condições de trabalho. Quando chove é melhor ficar no céu aberto. Quero pedir aos nossos governantes, para que deem mais estrutura para a feira”, disse o presidente da Associação.

Segundo Marcelo Sales, a Prefeitura de Sobral e os vereadores são informados, cobrados, mas nada é resolvido. “Esperamos neste ano, que é época de campanha, como de costume, eles sempre nos visitam e prometem. O que nós precisamos é de uma coberta para proteger nossos produtos contra chuva e sol. Eles precisam desse local para sobreviver”, ressaltou.

A Feira Livre de Sobral recebe, aproximadamente, 400 pessoas, diariamente, entre crianças, jovens, adultos, idosos, para comprar mercadoria. “Trata-se de um local aberto para o público de Sobral. Na nossa Associação estão cadastrados 101 sócios e, cada um paga, por mês, o valor de R$ 10. Todos contribuem para a melhoria da feira. Com esse dinheiro construímos dois banheiros: um para homens e outro para mulheres, além de sala para diretoria. Com esse recurso, mantemos a limpeza e o vigia”, finalizou.

Carlos Alberto Ritchelly

jornal@sobralnews.com.br

 

COMPARTILHAR