Publicado em: 26/11/2012

‘Debulhadeira’ de feijão verde agrada agricultores familiares

Uma das novidades marcantes da Expoece 2012, Feira que acabou ontem, 25, foi a ‘debulhadeira’ de feijão verde.
A máquina elétrica tem capacidade para debulhar até 40 quilos de feijão em quatro minutos

A Expoece 2012 encantou visitantes e gerou negócios. O evento, mais uma vez, mostrou-se como vitrine dos produtos do campo e local de apresentação de inovações tecnológicas que facilitam a vida do agricultor.
Uma das novidades em exposição na Feira foi a máquina debulhadeira de feijão verde. O equipamento foi desenvolvido pelos irmãos Francisco Estevão de Sousa e João Batista de Sousa, da cidade de Canindé. Feita em aço zincado, a máquina é elétrica e tem capacidade para debulhar até 40 quilos de feijão em quatro minutos. “Essa quantidade de feijão levaria mais de um dia para ser debulhada à mão”, lembrou Francisco Estevão.
As vargens são colocadas na máquina e os grãos já saem limpinhos e prontos para cozinhar. Os irmãos comentam que já venderam várias debulhadeiras para agricultores e que o produto já foi aprovado pelos compradores. “Nossa ideia é ampliar a produção de debulhadeiras para que elas cheguem na mão de cada agricultor familiar que comercializa o feijão verde”, frisou João Batista.
Os irmãos pretendem buscar parcerias com órgãos governamentais para que as máquinas sejam adquiridas através de projetos, beneficiando associações de produtores e assentamentos rurais.
Quem já comemora a eficiência da máquina são os agricultores familiares, Francisco Erlano Ferreira e Francisco Jucileudo Alves. Eles são irrigantes da comunidade do Inharé, em Senador Pompeu. Francisco Ferreira comenta que vendeu toda produção de feijão verde que levou para a Expoece e teve que mandar buscar mais feijão. As vargens foram debulhadas na máquina produzida pelos irmãos de Canindé. Cada comprador assistia o produto sendo beneficiado.
Francisco Ferreira comenta que foi a primeira vez que participou da Feira e ficou entusiasmado com o resultado das vendas. “Gostei tanto de vir para a Expoece que já estou me planejando para o próximo ano”, comemorou.
Convivência com a seca
Mesmo com a atual seca, Francisco Herlano Ferreira e Francisco Jucileudo Alves continuam cultivando feijão, batata doce, mamão e maracujá na Comunidade do Inharé, em Senador Pompeu. Além disso, eles produzem leite, queijo e polpa de frutas. Ao todo, o perímetro irrigado do Inharé tem área de 200 hectares irrigados.

A Expoece
A Expoece 2012, que terminou ontem, domingo, 25, contou com a participação de expositores de animais e produtos, com cerca de 500 estandes, movimentando, aproximadamente, R$ 12 milhões em negócios, além de destacar exemplos exitosos de projetos desenvolvidos pelos agricultores familiares no Ceará. Quatro mil animais dos Estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, e Rio Grande do Norte sendo bovinos, ovinos, caprinos e equinos estiveram em exposição.
Fonte: SDA