A festa de réveillon do Fortaleza pode ocorrer debaixo de chuva, conforme previsão da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). Segundo a fundação, a previsão para 31 de dezembro é de nebulosidade variável com possibilidade de precipitações isoladas na faixa litorânea.

De acordo com a Funceme, quem está se preparando para passar o Réveillon no litoral do Ceará não precisa se preocupar com chuvas tão intensas.

Segundo o órgão, normalmente, as chuvas no litoral, incluindo Fortaleza, costumam cair entre a madrugada e o início da manhã. Nas demais áreas, a previsão é de céu entre parcialmente nublado e claro ao longo do dia.

Nuvens sobre o Centro-Norte do Ceará

A análise realizada pela Funceme na manhã desta sexta-feira (29) indica que há nuvens sobre o centro-norte do Estado e também a presença de um “cavado em altos níveis” – sistema meteorológico que atua na pré-estação – na costa leste do Nordeste

O sistema, porém, não deve favorecer à formação de precipitações até a virada de ano. Apesar disso, é necessário realizar o acompanhamento diário da sua movimentação e as condições de tempo no Ceará.

Para esta sexta, a previsão é de céu entre parcialmente nublado e claro em todo o Estado, ao longo do dia. Já para o sábado (30), há possibilidade de chuvas isoladas na faixa litorânea, no Maciço de Baturité e na região Jaguaribara. Nas demais regiões, céu parcialmente nublado no decorrer do dia.

Chuvas acima da média

Nesta quinta-feira (28), o volume de chuvas de pré-estação acumulado desde o início do mês ultrapassou a média histórica e o total do ano passado para o período. O estado acumula 35 milímetros de chuva, enquanto a média para todo o mês é de 31 milímetros, de acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos. Em dezembro do ano passado foram 27 milímetros.

As chuvas atingiram esse volume após precipitações ocorridas desde o início da semana. Em Itapipoca, a forte chuva invadiu casas e surpreendeu os moradores. “Era água que dava no joelho da gente, dentro de casa”, conta um morador.

Fonte: G1

COMPARTILHAR