O I Encontro de Bancos Comunitários de Desenvolvimento (BCD) será realizado em Fortaleza entre os dias 4 e 6 de setembro, reunindo pesquisadores, economistas, intelectuais, gestores públicos, empreendedores sociais, organizações, movimentos sociais e representantes dos 113 BCDs do Brasil, além de 20 países que se farão representar.

O objetivo é promover trocas de experiências e aprendizados entre os vários modelos desse tipo de instituição financeira social e as novas tecnologias sociais desenvolvidas em vários países para gerar crescimento econômico, com inclusão social, em territórios de baixa renda. Nessa perspectiva, pretende-se avançar também, no fechamento de um compromisso por parte do poder público e de empresas nacionais, buscando apoio aos bancos comunitários, como estratégia de inclusão socioeconômica, financeira e bancária de milhares de brasileiros.

O evento é promovido pelo Banco Palmas e a Rede Brasileira de Bancos Comunitários. As palestras acontecerão dentro dos seguintes eixos temáticos: “Economia solidária”, “Democracia econômica”, “Finanças solidárias”, “Tecnologias para a construção de alternativas”, “Ecossistemas de inovação social” e “Investimentos para a geração e distribuição de riquezas nas periferias”.

Entre os palestrantes, destacam-se nomes como: Morgan Simon, líder internacionalmente reconhecida no investimento de impacto que constrói pontes entre finanças e justiça social. Katrin Kaeufer, pesquisadora sênior do Departamento de Estudos e Planejamento Urbano do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT); Marisa Villi, co-fundadora e diretora executiva da Rede Conhecimento Social, além de Ladislaw Dawbor, formado em economia política pela Universidade de Lausanne, Suiça e doutor em Ciências Econômicas pela Escola Central de Planejamento e Estatística de Varsóvia.

Duas décadas
Criado em 1998, o Banco Palmas completa 20 anos de existência em 2018. Foi o primeiro Banco Comunitário de Desenvolvimento (BCD) criado no Brasil. Hoje, congrega uma rede de 113 BCDs distribuídos em todas as regiões do Brasil, somando 20 estados da Federação e 90 municípios. Nenhuma outra iniciativa de caráter financeiro no Brasil está tão conectado com os pobres quanto os BCDs. Desde as ilhas ribeirinhas na Amazônia, passando por comunidades quilombolas, indígenas, assentamentos, vilas de pescadores, territórios rurais e urbanos, até as periferias do Rio Grande do Sul. Por isso o tema destes 20 anos é “Conectados”.

Em 2015, o Palmas adquiriu, com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes), o sistema E-Dinheiro. Com a compra da plataforma, passou a ser um Banco Digital, de propriedade exclusiva da rede de Bancos Comunitários à disposição da economia solidária e do povo brasileiro, oferecendo uma variedade de serviços financeiros e bancários, dentro dos marcos regulatórios do Banco Central (BC).

Fonte: O EstadoCE

COMPARTILHAR