Publicado em: 26/12/2012

Ano novo, vida nova…

O episódio do réveillon da capital serviu para fechar o ano de Luizianne de forma melancólica,  e de começar o do Roberto Cláudio e de Cid Gomes de maneira festiva

Paulo Passos
jornal@sobralnews.com.br

Fortaleza já é o segundo maior destino para o réveillon no Brasil. Esse processo foi construído graças à visão estratégica para o turismo da prefeita Luizianne Lins (PT) que, em 2005, quando começou a produzir as festas de fim de ano na capital, foi altamente criticada devido aos custos do projeto. Na época, apenas 150 mil pessoas compareceram ao Aterro da Praia de Iracema. Na última passagem do ano, cerca de 1,5 milhão de pessoas festejaram o réveillon. Agora, que o segundo mandato da prefeita termina, e que o quadro político muda, a capital do Ceará correu o risco de perder seu réveillon.
Em nota, Luizianne alegou “não se sentir legitimada para conduzir uma festa que transcorrerá em meio a uma mudança de gestão”. Ela declarou, ainda, que questões técnicas, que envolvem limpeza urbana, transportes, segurança, e fluxo de veículos exigem atenção do gestor municipal, e que o trabalho fica dificultado devido à transição. A notícia foi dada a 10 dias da virada do ano, o que poderia comprometer a festa, entretanto, em rápida ação, o governador Cid Gomes (PSB), por meio da Secretaria de Turismo do Ceará, garantiu o réveillon, revelando, inclusive, as atrações. Constam da lista nomes como o do cantor internacional Billy Paul, dos sertanejos Zezé de Camargo e Luciano, Luan Santana, dentre outros artistas e humoristas da terra.
A atitude da prefeita em fim de mandato não deixa de ser um tiro no pé, isso porque a possibilidade de interrupção de um projeto turístico estabelecido aponta para falhas em sua gestão e/ou dificuldades em lidar com a derrota formada nas urnas ao seu sucessor.
Como ordenadora de despesas, Luizianne teria que arcar com custos de uma festa que não lhe pertence politicamente, e nem a algum sucessor aliado, mas pertence administrativamente. E o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) já andou, em outros momentos, reprovando suas contas.
Se a prefeita resolveu cancelar a festa por conta de sua inimizade construída recentemente com Cid Gomes, resta dizer que demonstra, no mínimo, falta de visão sistêmica. Já foi dito nesta página, há algum tempo, que ambos devem estar no mesmo palanque em 2014, quando Dilma Rousseff, do partido da prefeita, se candidatar à reeleição. Além disso, Cid anda em alta com a presidenta, sobretudo após o apoio manifestado ao ex-presidente Lula. Na semana passada, Cid arregimentou um grupo de governadores que viajou para São Paulo com o intuito de visitar o petista, que sofreu acusações de Marcos Valério, personagem incômodo do mensalão. Pontos para ele…
Com o cancelamento do réveillon, Luizianne conseguiu gerar especulações em torno da falta de condições de se encontrar, durante um momento tão festivo, com os irmãos Ferreira Gomes (Cid, Ciro e Ivo). Diante de tamanho constrangimento da prefeita, fica a dúvida se uma festa tão importante para o Ceará teria sido cancelada por questões de cunho pessoal.
Mas, além de investigar argumentos para o cancelamento da festa da prefeitura, é importante olhar para a solução encontrada para o problema. Cid Gomes sacou um “ás” da manga ao assumir para o Governo do Estado a realização da folia. Com isso, ganhou ponto ao demonstrar que ele permite continuidade a um projeto que vem dando certo junto à população e aos turistas, ainda que o plano não tenha nascido durante sua gestão. Demonstrou, também, ser capaz de solucionar um problema em curtíssimo período. A rápida atuação de Cid Gomes, comparada a demora em que Luizianne levou para anunciar que a prefeitura não faria mais o réveillon, ajudou a aumentar publicamente ainda mais o desgaste com relação à imagem pessoal da prefeita, que não soube digerir a derrota para Roberto Cláudio nas urnas.
O prefeito eleito saiu ganhando. De mãos atadas por não ter sido empossado ainda, Roberto Cláudio não poderia assumir a festa de ano novo. A entrada de Cid no circuito possibilitou a festa que ilumina a posse do novo gestor de Fortaleza.
O episódio do réveillon da capital serviu para fechar o ano de Luizianne de forma melancólica, e de começar o do Roberto Cláudio e de Cid Gomes de maneira festiva. Mas, como diz o ditado, “ano novo, vida nova”…